Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A Energia do Amor

  DE QUE PRECISA O ESPÍRITO PARA SER SALVO
Perguntou um doutor da lei, para tentar Jesus: Mestre, que preciso fazer para encontrar a salvação e possuir a vida eterna?

Respondeu-lhe Jesus: Que é o que está escrito na lei?

Ele respondeu: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, com todas as tuas forças e de todo o teu espírito, e a teu próximo como a ti mesmo.

Disse-lhe Jesus: Respondestes muito bem; fazes isso e encontrarás a tua salvação.


O AMOR É ENERGIA

Mas o que é o amor?

Amor é um sentimento e a cada vez que sentimos algo geramos uma energia dentro de nós. Da mesma forma cada vez que pensamos também criamos dentro de nós uma energia mental.

As energias criadas pelos nossos pensamentos e sentimentos denominamos de energias internas.

Essa absorção e metabolização de energias externas, faz parte normal do funcionamento do complexo humano, ocorrendo de maneira automática, é um processo inconsciente que ocorre independente da percepção ou decisão voluntária da pessoa.


DE ONDE VEM AS ENERGIAS EXTERNAS ?

Energias Cósmica, Energias dos Alimentos, Energias da Natureza, Energias Irradiadas dos Encarnados e Energias Irradiadas dos Desencarnados.

ENERGIA IRRADIADAS
DAS OUTRAS PESSOAS → ENERGIA QUE ABSORVEMOS ← ENERGIAS LIVRES
                                                                       Ι



REAÇÃO QUÍMICA

Através de uma reação química, as energias internas e externas reagem entre si e formam uma energia combinada, que sempre vai ter a carga da polaridade das energia internas.

Em seguida a esta reação química, ocorre a metabolização dessas energias pelos nossos corpos material e espiritual e após irradiará a nossa volta formando a nossa aura.




O MAIS IMPORTANTE É CUIDARMOS DAS ENERGIAS INTERNAS

Ao entender este mecanismo, podemos afirmar que para nós o mais importante é cuidarmos das energias internas, as que produzimos através dos pensamentos e sentimentos, porque são essas cargas que vão prevalecer na reação química com as energias externas. Isto quer dizer, que se tivermos pensamentos e sentimentos com carga positiva nós sempre estaremos bem, porque toda a energia com carga negativa que chegar até nós, após a reação química passará a ter carga positiva. Com esse entendimento devemos parar de culpar os outros pelas energias negativas de que as vezes somos portadores.

Nós podemos receber energias negativas emitida por outra pessoa, mas esta não continuará sendo negativa, porque iremos transformá-la em positiva assim que adentre o nosso campo energético.

Esta energia negativa vinda de outra pessoa somente continuará negativa se a nossa energia interna também estiver negativa.

E nesse caso, a culpa não é da outra pessoa e sim nossa mesma por estar invigilantes e indisciplinados nos nossos pensamentos e sentimentos.

Jesus nos disse: Orai e Vigiai. Vigiar o que pensamos e sentimos.

AFINIDADE ENERGÉTICA

Por ser um processo automático, a absorção de energias pelo nosso organismo ajusta-se, naturalmente e automaticamente, ao padrão energético e vibratório correspondente ao estado mental e espiritual do momento. Isso significa dizer que temos maior facilidade de absorver as energias que são do mesmo padrão vibratório que nos encontramos, ou seja, nosso complexo energético atrai mais facilmente os fluidos e as energias com as quais afinamos e sintonizamos. Isso não significa dizer que não absorveremos as energias que não são do mesmo padrão vibratório que nos encontramos, ou seja, apenas teremos mais facilidade de atrair as energias com as quais nos afinamos e maior dificuldade de atrair as energias com as quais não nos afinamos. Se estamos equilibrados, harmonizados, vibrando no bem, absorveremos boas energias, correspondentes ao nosso “patamar vibratório”, dificultando a absorção de padrões energéticos “ruins”.

Se estamos desequilibrados, desarmonizados, invigilantes com nossos pensamentos e sentimentos, nosso patamar vibratório se ajusta com energias “ruins”, dificultando a absorção das energias boas e promove com maior facilidade a assimilação de energias desequilibradas.

SOMOS UM DíNAMO-PSIQUISMO

Cada um de nós é um dínamo-psiquismo emissor e perceptor permanente; daí não apenas recebemos influências dos outros, mas também sobre eles mantemos as nossas influenciações.

O AMOR PRODUZ AMOR

Constantemente estamos irradiando de nós o que realmente somos, e impregnando com essa energia particular as coisas, o ambiente, os objetos e influenciando as pessoas que as aceitam e as assimilam.

Coloque uma peça de ferro perto de um imã, e esta peça também se transformará em um imã enquanto estiver ali.

Permaneça perto de Quem o ama, e você será imantado por esse Amor. Ame os que estão perto de você que você irá imantá-los, porque o amor é contagiante. Mas não esqueçamos que o ódio também o é, de tanto odiar os outros também poderemos ser odiados. Espalhe amor onde quer que você vá.

Em primeiro lugar comece em sua própria casa. Dê amor a seus filhos, seus pais, sua esposa ou marido, seus irmãos.

Dê amor a seus parentes, a seus vizinhos, as pessoas do seu serviço. Não deixe ninguém vir a você sem partir melhor ou mais feliz.






JESUS TINHA RAZÃO AO DIZER QUE O AMOR É O CAMINHO DA SALVAÇÃO


Ao entendermos o mecanismo das reações entre as energias internas com as externas, podemos afirmar que Jesus tinha razão ao dizer que: “Amando a Deus e ao próximo como a nós mesmos”, nós salvamos o nosso espírito dos sofrimentos e permaneceremos eternamente em paz. 

Busquemos, com esforço constante, melhorar nossos pensamentos e os nossos sentimentos e encontraremos o caminho para uma vida melhor.

A ARMA INFALÍVEL

Certo dia, um homem revoltado criou um poderoso e longo pensamento de ódio, colocou-o numa carta rude e malcriada e mandou-a para o chefe da oficina que fora despedido.

O pensamento foi vazado em forma de ameaças cruéis e quando o chefe da oficina leu as frases ingratas que o expressava, acolheu-as, desprevenidamente, no próprio coração, e tornou-se furioso sem saber porque. 

Encontrou quase de imediato, o sub chefe da oficina, e ao enxergar uma pequena peça quebrada, desfechou sobre ele a bomba mental que trazia consigo
Foi a vez do sub chefe tornar-se neuratênico, sem se dar conta, abrigou a projeção maléfico no sentimento, por várias horas. 

No instante do almoço, ao invés de alimentar-se descarregou na esposa o perigoso dardo intangível, tão só por ver um sapato imperfeitamente engraxado, proferiu dezenas de palavras feias.

Ele então sentiu-se aliviado, mas a mulher passou a asilar no peito a odienta vibração.

Transtornada pela cólera inexplicável, que ninguém soubera dissolver, encaminhou-se para a empregada que se incumbia do serviço de calçados e desabafou com palavras indesejáveis.

Agora, era pobre menina quem detinha o tóxico mental, não podendo despejá-los nos pratos e xícaras, em vista aos prejuízos que teria de arcar, aproximou-se de velho cão, dorminhoco e deu-lhe um ponta pé, transferindo veneno imponderável. 

O animal ganiu e disparou tocado pela energia mortífera e para livrar-se desta, mordeu a primeira pessoa que encontrou na via pública.

Era a senhora vizinha, que ferida na coxa se enfureceu instantaneamente, possuída pela força maléfica. Em gritaria desesperada foi conduzida a certa farmácia.

O enfermeiro muito prestativo, de calmo que era transformou-se em fera. 

Revidou os golpes recebidos com observações ásperas e saiu alucinado para casa.

Onde sua mãe devotada o esperava para a refeição, chegou e descarregou sobre ela toda a ira de que era portador.

Estou farto! bradou! – A senhora é culpada dos aborrecimentos que me perseguem! Pronunciou nomes terríveis, gritou colérico, qual louco.

A mãe, longe de agastar-se tomou-lhe as mãos e disse-lhe com brandura, - Venha cá meu filho! Você está cansado, sei da extensão de seus sacrifícios por mim e reconheço que tem razão para lamentar-se.

No entanto meu filho, tenhamos paciência, lembremos de Jesus! A Terra é lugar de buscar o nosso aperfeiçoamento entre prantos e ranger de dentes. 

Abraçou-o e transmitiu muita paz a ele.

Então o filho reconheceu que havia perdão e entendimento e houve explosão de íntimas alegrias. 

Afinal, a projeção destrutiva do ódio morrera, ali, dentro do lar humilde diante da força infalível e sublime do amor.


Fonte:  Biblioteca Virtual Espírita

0 comentários: