Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

sábado, 27 de julho de 2013

Jesus, o Maior Psicólogo que já Existiu

O livro Jesus,o maior psicólogo que já existiu, escrito por Mark W. Baker um psicólogo norte americano, diretor executivo da Clinica L a Vie Counseling Center , por ser tão desinibido era muito solicitado como orador em igrejas, faculdades e reuniões de psicologia, mas ainda tinha seu consultório particular em Santa Mônica na Califórnia.

O autor escreveu seu livro a partir de algumas das principais parábolas da Bíblia que seria a luz do pensamento contemporâneos, o autor extraiu alguns significados do conhecimento cientifico e empregou em seu trabalho terapêutico.

Mark W. Baker usou esses ensinamentos para mostrar que apesar de tanto tempo ainda hoje pode ser aplicados em nossas vidas, e em cada capitulo o autor relata a história de um paciente e relaciona a passagem bíblica na qual esta relacionada e como a compreensão ajuda no tratamento.

O professor de psicologia Archibald D. Hart comenta que o livro é “Uma visão inspiradora e sensível da importância dos ensinamentos de Cristo para o nosso crescimento e paz interior que não entra em conflito com as descobertas da psicologia”.

Resumos de alguns capítulos do livro Jesus, o maior psicólogo que já existiu , escrito por Mark W. Baker.

No capitulo 1 pagina 16/17, “Como conhecemos a verdade”, o autor usa uma parábola que fala “Eu sou o caminho a verdade e a vida”.Em uma de suas terapias o autor apresenta como mostrar a melhor maneira de se conhecer a verdade fazendo com que o seu paciente se conheça melhor e se interesse pelos motivos que o levaram a tomar certas decisões e lhe mostra que é melhor se concentrar menos no que pensava sobre as coisas, e se importar mais em como se sentia a respeito delas e ainda Jesus sabia que as pessoas nunca podem entender completamente a vida se usar somente o intelecto. Ele (Jesus) sabia que a mais rebuscada forma de conhecimento decorre dos relacionamento em que se tenha uma certa confiança.

O que mais chama a atenção é que o autor investe muito neste relacionamento com as parábolas e seu pacientes. Sempre comparando o ocorrido na sua sala de terapia com a passagem bíblica, mas o mais interessante é que seu paciente nem sabe que sua história de vida está sendo comparada com as parábolas de Jesus.

Capitulo 3 pagina 67/68, “Crescimento é trabalho”. Neste caso usa-se a parábola ”Tome a sua cruz e siga-me de perto”. Jesus ensina que o crescimento envolve um trabalho duro e que se precisa estar preparado para assumir a nossa parte de responsabilidade se quisermos ter a recompensa. O autor relata a terapia de Megan uma jovem que saía com homens carentes e nas relações ela sempre comandava a situação, e com o decorrer da terapia descobriu-se que Megan tinha esse tipo de reação por ter contato com seu pai que tinha depressão e ela sempre tinha que estar feliz e lhe dar-lhe felicidade, por isso achava que tinha a obrigação de está sempre sendo a forte e a consoladora de todos. Mas Megan estava farta dessa situação e queria mudar. Neste caso o terapeuta a ajudou a se conhecer melhor e não a mudar pois na verdade ela não conseguia suportar o que estava sentindo, e que todos os maus sentimentos iam desaparecer e ela seguiria o caminho dos bons conhecimento.

Essa passagem nos mostra como o poder de transformação espiritual é uma tarefa que se precisa abraçar e não deixar que os outros carreguem as nossas cruzes e sim tentar levantá-las sozinhos.

Capitulo 4 pagina 82/83 “O pecado é um problema pessoal”. E a parábola usada é “Se o teu irmão pecar contra ti, repreende-o, e se ele se arrepender, perdoa-o”. Esse caso fala de duas amigas Laila e Kerry , trocavam confidências de suas vidas pessoais. Laila achava que as confidências ficavam entre as duas amigas mas um dia descobriu que kerry contara para uma outra amiga e Laila ficou furiosa com a situação e começou também a fazer intriga contra Kerry e nesse caso tornaram-se inimigas e ambas não sediam para que essa situação fosse resolvida. Jesus diz que devemos perdoar as pessoas mesmo que doa muito.

O que mais chama a atenção é que o autor escreve que “o pecado é um problema que existe entre nós e não dentro de nós” e então devemos sempre pelo menos tentar perdoar as pessoa que nos feri.

Capitulo 8 pagina 145/146 “Curando o ódio”. E a passagem bíblica é “Por que te preocupas com o cisco no olho do teu irmão quando tens uma trave no teu?”.Esse caso é de Bill, ele sempre repudia os atos sexuais que aparecem em cinemas e ainda chama os atores que trabalham nos filmes de imorais. Mas sua filha gosta muito de cinema e tem até medo de pedir ao pai para ir, pois ele jamais a deixaria ir e isso esta levando um certo distanciamento entre os dois, mas ela não entende por que dessa situação de ódio que seu pai tem com os autores.

Descobre-se que Bill luta em segredo contra as suas fantasia e sente raiva de si mesmo por às vezes ceder a elas. Ele imaginava que única maneira de controlar suas fantasias era tentando controlar o meio externo e repudiando assim as pessoas que as praticasse. Jesus nos ensina que quando sentimos ódio de alguma coisa nos outros devemos parar e verificar se temos algo parecido em nós.

O que chama a atenção é que o autor nos coloca sempre uma parábola que nos mostra o nosso intimo e como devemos se sentir perante o acontecimento.

Capitulo 11 pagina 176/177, “Somos todos pecadores”, e a parábola associada nesse caso é “Aquele de vós que estiver sem pecado atire a primeira pedra”. A historia é de um casal chamado Dalton e Miranda. Seu relacionamento parecia ir bem tudo parecia ser as mil maravilhas, mas as aparências enganam. Dalton era uma pessoa divertida e maravilhosa mas para Miranda tinha uma certa dificuldade de escutá-la, e adorava contar a sua historias e isso deixava Miranda triste sem saber com quem se abrir. Certo dia ela encontrou uma pessoa que lhe deu toda à atenção e lhe compreendeu, ela não traiu seu marido carnalmente só encontrou alguém que a deixasse falar do seu eu. Quando Dalton descobriu ficou muito magoado pois não tinha feito nada de errado, mas como a amava resolveu encarar esse problema juntos. Nesse caso reconhecer que havia errado foi o ponto inicial para corrigir as coisas. Jesus sabe que gestos e atitudes de amor ajudam as pessoas a serem melhores e aquele que não tem pecado que atire a primeira pedra.

Será que as pessoas conseguem perdoar o seu próximo? Às vezes é muito difícil dá o perdão, é muito bonito o que o autor escreve e o que Jesus pregou, mas a dificuldade em perdoar é enorme e o ser humano é falho e fraco perante algumas situações.

Mark W. Baker
É uma abordagem original da relação entre ciência e religião, ligando os principais ensinamentos de Jesus às descobertas recentes da psicologia. Com base em sua experiência como terapeuta e no seu profundo conhecimento da Bíblia, Mark Baker demonstra por que a mensagem de Cristo é perfeitamente compatível com os princípios da psicologia: ela contém a chave da saúde emocional, do bem-estar e do crescimento pessoal. Em uma linguagem simples e cativante, ele mostra que, seja qual for a nossa crença religiosa ou filosofia de vida, todos podemos nos beneficiar da sabedoria daquele que, como diz o autor, foi o maior psicólogo de todos os tempos. Organizado em dezenas de lições concisas, este livro é uma coleção de valiosos exemplos práticos sobre como essa sabedoria comprovada pelo tempo pode nos ajudar a resolver os problemas do cotidiano, a repensar atitudes e a praticar o perdão, a solidariedade e a lealdade, valorizando nossas vidas e nossos relacionamentos com mais amizade e amor.

Este livro Jesus, o maior psicólogo que já existiu tem de fato um título apelativo. É uma leitura leve e muito enriquecedora. Indico enfaticamente aos cristãos praticantes e pessoas com afinidades com a cultura cristã. Também é muito válido para pessoas que fazem terapia. A leitura ajuda a avaliar os ensinamentos de Cristo sob uma perspectiva terapêutica de forma suave. Portanto não espere encontrar ensinamentos diferentes e aprofundados além do que você já ouviu, a respeito do evangelho de cristo. A grande sacada do autor Mark W. Baker é reforçar a ligação que há entre religião e a psicologia, sendo ambas formas diferentes de se equilibrar a parte mais esquecida da nossa existência, que é a nossa mente, alma, espírito, seja lá como que você preferir denominar. Foi um best-seller muito vendido e comentado, que está a um preço bem convidativo atualmente. Acredito que seu grande sucesso se deve justamente ao aspecto leve da leitura, sem se aprofundar muito em conhecimentos tanto teológicos como psicológicos. Fato este que frustrou um pouco as pessoas que tem conhecimentos mais aprofundado sobre psicologia ou religião. No fundo, para se levar uma vida equilibrada, não é necessário o conhecimento aprofundado de algum conhecimento “difícil”, mas sim o conhecimento e vivência das poucas, simples mas fortes verdades da vida, as quais você vai encontrar em abundância por todo o livro, assim como as encontra conhecendo a breve mas intensa passagem de Jesus junto à humanidade. Neste sentido, o autor pega as passagens mais marcantes dos evangelhos e as exemplifica através de relatos de casos bem sucedidos tratados por ele. Acredito profundamente que só aprendemos ou captamos algo vivenciando o conhecimento. Einstein concluiu que a função de qualquer conhecimento é a ação. Portanto, os aspectos práticos dos ensinamentos sempre me dizem muito. E há vários desses aspectos práticos das passagens dos evangelhos abordadas no livro.

Conclusão

Conclui-se que o maior objetivo do autor do livro Jesus, o maior psicólogo que já existiu é oferecer uma perspectiva sobre como os antigos ensinamentos de Jesus encerram poderosas idéias psicológicas capazes de influenciar hoje a nossa vida, e nos mostra também que a conversa é uma coisa positiva, tanto com as outras pessoas quanto com Deus e que não é bom ficarmos sozinhos. E nos deixa bem claro que seja qual for a nossa religião todos podemos nos beneficiar da sabedoria daquele que foi o maior psicólogo de todos que já existiu.

0 comentários: