Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Logosofia

A Logosofia (do grego λόγος - logos = palavra, verbo e σοφία - sophia = sabedoria, ciência original) é uma escola desenvolvida pelo pensador e educador humanista Carlos Bernardo González Pecotche, que busca oferecer ferramentas de ordem conceitual e prática para obter o auto aperfeiçoamento, por meio de um processo de evolução consciente que conduz ao conhecimento de si mesmo.
Estabelece que os pensamentos são autônomos e independentes da vontade individual, e que nascem e cumprem suas funções sob a influência de estados psíquicos ou morais, próprios ou de outrem. Tem como finalidade libertar as faculdades mentais das influências sugestivas, para que o indivíduo, pensando melhor, compreenda os verdadeiros objetivos da vida.
A escola logosófica dá a conhecer um método e um conjunto próprio de disciplinas que objetivam levar o homem ao conhecimento de si mesmo, dos semelhantes, de Deus, do universo e de suas leis eternas, e ainda como uma nova forma de sentir e conceber a vida, por apresentar uma nova concepção do homem, de sua organização psíquica e mental e da vida humana em suas mais amplas possibilidades e projeções.
Com a criação da primeira sede da Fundação Logosófica na cidade de Córdoba, Argentina, surge a Logosofia em 1930.

Etimologia

Logos, grafia grega
O Logos (em grego λόγος, palavra), no grego, significava inicialmente a palavra escrita ou falada — o Verbo. Mas a partir de filósofos gregos como Heráclito passou a ter um significado mais amplo. Logos passa a ser um conceito filosófico traduzido como razão, tanto como a capacidade de racionalização individual ou como um princípio cósmico da Ordem e da Beleza.
Sophia (em grego Σοφία, sabedoria) é o que detém o "sábio" (em grego σοφός, "sofós"). É um conceito que distingue-se de "esperteza" ou do comumente é chamado "inteligência".
O nome "Logosofia" reúne numa só palavra os elementos gregos “logos” e “sophos”, que o autor adotou, dando-lhes a significação de verbo criador ou manifestação do saber supremo, e ciência original ou sabedoria, respectivamente, para designar uma nova linha de conhecimentos, uma escola, um método e uma técnica que lhe são eminentemente próprios.

O autor

Carlos Bernardo González Pecotche, argentino, também conhecido pelo pseudônimo Raumsol, nasceu em 11 de agosto de 1901 em Buenos Aires, e viveu até 4 de abril de 1963. Filho de Jorge N. González e Maria Pecotche de González, casou-se com Paulina Eugenia Puntel em 8 de outubro de 1924 e teve um filho, Carlos Federico González Puntel, nascido em 10 de julho de 1925.
Expôs seu pensamento em uma extensa bibliografia, que inclui livros (em vários gêneros), coleções de revistas (Aquarius, 1931-1939, e Logosofía, 1941-1947), o jornal "El Heraldo Raumsólico" (1935-1938), editados sob sua direção, além das conferências proferidas na Argentina, no Brasil e no Uruguai.

Metodologia

O método logosófico, segundo seu autor postula, é único em sua essência e possui a qualidade de adaptar-se a cada mente, proporcionando-lhe a parte de conhecimento que a capacidade individual pode abarcar.
O exame das aptidões e das condições de assimilação são fatores que este tem em conta. Sua artéria principal, a que faz palpitar o ensinamento na alma do que aprende, é a que prescreve, como principal função do conhecimento que prodigaliza, a necessidade de uma familiarização íntima com o ensinamento até identificar-se com ele por associação do mesmo à vida.
O método logosófico propõe-se a guiar o ser humano ao conhecimento mais profundo de sua mente, na totalidade de seu complexo funcionamento. A Logosofia convida o homem a realizar um estudo pleno de sua psicologia: seu caráter, suas tendências, seus pensamentos, suas qualidades, suas deficiências e tudo quanto direta ou indiretamente entre no jogo de suas faculdades mentais e tenha o que ver com os estados de seu espírito.

Objetivos

Os principais objetivos dos conhecimentos logosóficos são:
  • A evolução consciente do ser humano, mediante a organização de seus sistemas mental, sensível e instintivo.
  • O conhecimento de si mesmo, que implica o domínio pleno dos elementos que constituem o segredo da existência de cada um.
  • A integração do espírito, para que o ser humano possa aproveitar os valores que lhe pertencem, originados em sua própria herança.
  • O conhecimento das leis universais, indispensável para ajustar a vida a seus sábios princípios.
  • O conhecimento do mundo mental, transcendente ou metafísico, onde têm origem todas as ideias e pensamentos que fecundam a vida humana.
  • A edificação de uma nova vida e de um destino melhor, superando ao máximo as prerrogativas comuns.
  • O desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, com o que o método logosófico se transubstancia em aptidões individuais de incalculável significado para o porvir pedagógico na educação da humanidade.

Logosofia e Educação

A Pedagogia Logosófica é o sistema pedagógico que se baseia nos ensinamentos da Logosofia. É ênfase da Pedagogia Logosófica desenvolver no aluno o interesse pelo conhecimento (em todas as suas formas), além da percepção do quão proveitoso é para a própria vida conhecer a si mesmo.
A Logosofia propõe que todo processo de renovação da educação comece necessariamente por um processo de autoconhecimento e renovação do próprio docente, haja vista que "querer renovar sem haver renovado a si mesmo é como querer dar o que não se possui".
Por isto, é necessário ao educador que se preste a empregar a Pedagogia Logosófica que busque superar-se, constituindo também um exemplo aos seus alunos do que ensina e recomenda-se que ele esteja realizando o processo de evolução consciente preconizado pela Logosofia. É também princípio da Pedagogia Logosófica a vinculação sensível entre docente e discente, pelo cultivo do afeto, princípio fixador das relações humanas. No ambiente de ensino em que se emprega tal modalidade de ensino, é essencial que se preze por cultivar qualidades morais e éticas como o respeito, alegria, disciplina, tolerância, ajuda sincera, liberdade e estímulo ao saber, ao anelo de ser melhor e à prática constante do bem. Uma das coisas as quais se dedica o educador ao seguir essa pedagogia é no favorecimento das manifestações tutelares do espírito da criança e do adolescente e o acercamento de estímulos naturais e positivos, indispensáveis à formação do caráter.
Também é essencial que haja ação conjunta e integrada entre o lar e a escola, como instituições educacionais básicas.
Em sua tese de doutorado intitulada "Educar o indivíduo é promover seu processo de evolução consciente", o Dr. Elie Cohen Gewerc, baseando-se na pedagogia logosófica, propõe um enfoque pedagógico radicalmente novo em relação ao modelo atual: a evolução consciente. Diz que "A tendência habitual é projetar o ser para fora de si, para que se instale no mundo ambiente". Com a nova pedagogia logosófica, "o primordial é levá-los a investigar e conhecer seu próprio mundo interno".

Logosofia e Filosofia

Homem esculpindo-se a si mesmo,
do artista uruguaio Yandí Luzardo,
inspirada no princípio da evolução consciente
proposto pela Logosofia.

O saber logosófico não tem pontos de referência com nenhum ramo do saber comum, seja ciência, filosofia, psicologia, etc., ou seja, suas concepções são originais e não foram baseadas em nenhuma outra corrente de pensamento existente, conforme expressado por seu próprio autor.

Desde muito tempo, poderíamos dizer desde que o homem começou sentir as primeiras inquietudes a respeito das razões de sua própria existência, foi preocupação permanente encontrar ou descobrir a palavra mestra que guiasse o entendimento até os mais altos cumes do saber, acima das ciências e das crenças admitidas. Essa palavra viria a constituir-se na ciência-mãe dos homens, cuja função primordial seria a de abrir à inteligência humana as portas que dão acesso ao conhecimento das supremas verdades. (...) A essa ciência universal e ilimitada deu-se o nome de Filosofia, porquanto de algum modo se devia chamá-la quando a ela se aludisse.
(...) Para a Logosofia a Filosofia não é precisamente a ciência-mãe; mas pode ser considerada, sim, a ciência de enlace entre esta e as comuns, e isto porque a Filosofia não estabelece os princípios do ser e do saber. Não determina tampouco qual é a razão da ordem que impera na Criação nem apresenta a origem das leis que governam o espaço, o tempo e todas as formas de existência contidas no Universo. Com frequência ela precisou recorrer à Lógica para auxiliar-se em determinadas circunstâncias. A Lógica é, no conceito logosófico, a ciência da sensatez. Assim, por exemplo, quando a Filosofia tentou penetrar no campo das combinações mentais ou operações da inteligência humana, sempre se viu limitada pela ausência de noções sobre o mecanismo dominante do espírito, em estreita relação com as leis supremas que estabelecem em cada caso o mérito de suas aplicações. Além disso, as referidas leis supremas, por serem independentes da natureza dos pensamentos humanos, são a expressão mais viva das regras absolutas que regem o entendimento e alcançam também todos os pensamentos que agem dentro da mente.
Sobre a diferença entre a Logosofia e a Filosofia, González Pecotche explica:
A Logosofia conta com duas forças poderosas que, ao unir-se e irmanar-se, levam o homem a cumprir os dois fins de sua existência: evoluir para a perfeição e constituir-se em um verdadeiro servidor da humanidade. Uma dessas forças é o conhecimento que brinda à mente humana; a outra, o afeto que ensina a realizar nos corações.
A ciência corrente carece desse afeto, dessa força; é fria e rígida e, às vezes, especulativa e intemperante, como no caso da Filosofia; ao contrário, a Logosofia é conciliadora. Eis aí a grande diferença e o que explica porque é capaz de realizar prodígios na alma humana, que até parecem inconcebíveis àqueles que permanecem alheios a tais possibilidades.”

Contribuição Humanista

González Pecotche expõe a Logosofia como um novo tipo de Humanismo, novo quando diferencia-se na contribuição que possa dar em relação aos trabalhos de outros humanistas:
“Diferentemente, pois, do conceito generalizado, nosso humanismo parte do próprio ser sensível e pensante, que busca consumar dentro de si o processo evolutivo que toda a humanidade deve seguir. Sua realização nesse sentido haverá, depois, de fazer dele um exemplo real daquilo que cada integrante da grande família humana pode alcançar.”

Bibliografia

Obra "O Mecanismo da Vida Consciente"
(13ª Edição). Primeira edição
lançada em 1956.

A bibliografia logosófica é publicada em diversos idiomas pela Editora Logosófica, sediada no Brasil, e pela Editorial Logosófica, sediada na Argentina. Suas principais obras são:

  • A Herança de Si Mesmo - 1957
  • Bases para Sua Conduta - 1965
  • Biognose - 1940
  • Coletânea da Revista Logosofia - Tomos I, II e III - 1980
  • Coletânea da Revista Logosofia - Tomos IV e V - 1982
  • Curso de Iniciação Logosófica - 1963
  • Deficiências e Propensões do Ser Humano - 1962
  • Diálogos - 1952
  • Exegese Logosófica - 1956
  • Intermédio Logosófico - 1950
  • Introdução ao Conhecimento Logosófico - 1951
  • Logosofia, Ciência e Método - 1957
  • O Espírito - 1968
  • O Mecanismo da Vida Consciente - 1956
  • O Senhor De Sándara - 1959
(Nota: os anos indicados se referem à primeira edição.)

Instituições Logosóficas

As instituições logosóficas são entidades sem fins lucrativos que têm o objetivo de serem centros difusores da Logosofia, além de brindar o ambiente necessário para seu estudo e prática.
Atualmente, existem instituições logosóficas nos seguintes países:
  • Argentina
  • Brasil
  • Espanha
  • Estados Unidos
  • Israel
  • México
  • Venezuela
  • Uruguai
Existem estudantes residentes, ainda, que realizam núcleos de estudo em países que ainda não contam com qualquer sede de exclusivo estudo logosófico. Se encontram atualmente sob essas condições grupos de estudantes na Alemanha, Austrália, Canadá, França, Itália, Reino Unido, entre outros.

Reconhecimentos

Carimbo comemorativo 2001.

Diversos reconhecimentos e homenagem foram prestados ao autor da Logosofia em seu país de origem, a Argentina, assim como no Brasil e no Uruguai.

Em abril de 2001, os Correios do Brasil emitiram um carimbo comemorativo ao centenário de nascimento de González Pecotche.
A Fundação Logosófica é reconhecida no Brasil como uma Instituição de Utilidade Pública Federal, desde 1969, pelo trabalho cultural que realiza.

Homenagem recebida
pela Casa da Moeda do Brasil (verso)

González Pecotche foi homenageado pela Casa da Moeda do Brasil, no dia 13 de agosto de 2010, em Brasília, em solenidade realizada durante a abertura do Congresso Internacional de Logosofia em comemoração aos 80 anos de existência da Logosofia no mundo, com o lançamento de uma medalha comemorativa em ouro, prata e bronze. Este Congresso contou com a presença de mais de três mil estudantes de Logosofia de todo o Brasil e de mais 13 países e propiciou aos participantes a troca de experiências sobre os resultados que vêm obtendo em suas vidas com o estudo da Logosofia.

Fonte: Wikipédia

0 comentários: