Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

sábado, 12 de maio de 2012

Como Funciona o Sono

Dormir é uma das coisas mais complexas que o ser humano faz. Você já se perguntou por quê? Parece que não faz nenhum sentido sonhos desconexos. Entretanto, há razões para isso.
Se você já se perguntou por que as pessoas têm que dormir ou como os sonhos funcionam, continue lendo. Neste artigo, você vai descobrir tudo sobre o sono e o que ele faz por você. 

Características do Sono

Todos reconhecem uma pessoa que está dormindo:
  • a pessoa se deita para dormir;
  • os olhos ficam fechados;
  • a pessoa não ouve nada e quando ouve, acorda imediatamente;
  • a pessoa respira lentamente e num padrão rítmico;
  • os músculos ficam completamente relaxados ao ponto de se a pessoa estiver sentada, poderá cair da cadeira.
  • durante o sono, a pessoa se move na cama; isso acontece uma ou duas vezes por hora; essa pode ser uma maneira de o corpo não prender a circulação de algum membro ou tecido por um período muito longo.
Além desses sinais externos, o coração desacelera e o cérebro faz umas coisas bem malucas.
Em outras palavras, uma pessoa que dorme fica inconsciente para a maior parte das coisas que acontecem no ambiente. A maior diferença entre alguém que está adormecido e alguém que desmaiou ou que está em coma é o fato de que a pessoa que está dormindo pode ser acordada se o estímulo externo for forte o suficiente. Se você balançar uma pessoa, gritar ou acender uma luz forte, ela vai acordar.
Para um animal que vive na floresta, não é muito interessante ficar inconsciente durante oito horas por dia, todos os dias. Mas esse foi exatamente o resultado da evolução. Então, deve existir uma boa razão para isso. 

Quem Dorme?

Répteis, aves e mamíferos dormem. Isso significa que eles ficam inconscientes durante um período. Alguns peixes e anfíbios diminuem sua consciência, mas não dormem da mesma maneira que os vertebrados superiores. Aparentemente, os insetos não dormem, apesar de ficarem inativos durante o dia ou a noite.
Ao analisar as ondas cerebrais dos répteis, descobriu-se que eles não sonham. Já os pássaros sonham um pouco. Todos os mamíferos sonham durante o sono.
Cada animal dorme de maneira diferente. Alguns animais, como os humanos, dormem em uma longa sessão. Outros animais, os cães, por exemplo, gostam de dormir em curtos períodos. Alguns dormem durante a noite, outros dormem durante o dia. 

O Sono e o Cérebro

Se você conectar um aparelho de eletroencefalografia na cabeça de uma pessoa, pode gravar a atividade de suas ondas cerebrais. Uma pessoa acordada e relaxada gera ondas alfa, que são oscilações consistentes de cerca de 10 ciclos por segundo. Uma pessoa alerta gera ondas beta, que são duas vezes mais rápidas.
Durante o sono, dois padrões mais lentos, chamados ondas teta e ondas delta, também acontecem. As oscilações das ondas teta vão de 3,5 a 7 ciclos por segundo e as ondas delta oscilam a menos de 3,5 ciclos por segundo. Quando uma pessoa adormece e entra em sono profundo, os padrões das ondas cerebrais ficam mais lentos. Quanto mais lentos os padrões das ondas, mais profundo é o sono. É mais difícil acordar uma pessoa que está na fase delta. 

Sono REM

Durante a noite, algo inesperado acontece: o sono REM (movimento rápido dos olhos). A maioria das pessoas tem de três a cinco períodos de sono REM por noite. Nessa fase do sono, as ondas cerebrais ficam tão rápidas quanto as ondas dos níveis de consciência. Se você observar uma pessoa ou um cão em sono REM, você vai ver seus olhos se movendo de um lado para outro rapidamente. Durante o sono REM, os braços, pernas e músculos faciais de muitos cães e algumas pessoas se contraem. Os outros períodos do sono são conhecidos como NREM (não-REM).
Durante o sono REM acontecem os sonhos. Se você acordar uma pessoa durante o sono REM, ela pode se lembrar claramente dos sonhos. Se você acordar uma pessoa durante o sono NREM, ela provavelmente não estará sonhando.
Você precisa passar pelos sonos REM e NREM para ter uma boa noite de sono. Uma pessoa normal passa cerca de 25% da noite em sono REM e o resto em NREM. Uma sessão REM - um sonho - dura de cinco a trinta minutos.
Remédios podem atrapalhar uma boa noite de sono. Muitos deles, inclusive os remédios para dormir, mudam a qualidade do sono e da fase REM. 

Perdendo noites

Uma maneira de entender por que dormimos é ver o que acontece quando não dormimos o suficiente.
  • Como você sabe, perder uma noite de sono não é o fim do mundo. No dia seguinte, a pessoa pode ficar irritada, pode ficar facilmente cansada ou hiperativa, em razão da adrenalina.
  • Se a pessoa perder duas noites de sono, as coisas ficam piores. A concentração fica mais difícil e a pessoa se torna consideravelmente desatenta. Os erros passam a ser mais comuns.
  • Depois de três dias, a pessoa começa a ter alucinações e é impossível pensar de forma clara. Se a pessoa não dormir, ela começa a perder o senso da realidade. Ratos forçados a não dormir acabam morrendo, provando que o sono é essencial.
Uma pessoa que não dorme o suficiente pode experimentar muitos desses problemas com o passar do tempo.
Duas outras coisas acontecem durante o sono. O hormônio de crescimento nas crianças é secretado durante o sono, assim como algumas substâncias fundamentais para o sistema imunológico. Você pode se tornar mais propenso a doenças se não dormir o suficiente, e as crianças podem ter seu desenvolvimento comprometido.
Mas a pergunta continua: por que precisamos dormir? Vamos dar uma olhada em algumas possíveis razões. 

Por que precisamos dormir

Ninguém sabe ao certo por que dormimos. Existem várias teorias, inclusive:
  • o sono dá ao corpo a chance de recuperar os músculos e outros tecidos, substituindo células mortas ou velhas;
  • o sono serve para que o cérebro organize e arquive as memórias. Acredita-se que os sonhos são uma parte desse processo;
  • o sono diminui o consumo de energia do corpo; assim, precisamos de três refeições por dia, em vez de quatro ou cinco. E já que não podemos fazer nada no escuro, nos "desligamos" e economizamos energia;
  • de acordo com o ScienceNewsOnline: gatos que não dormem apresentam um elevado nível de adenosina (em inglês), o sono pode ser uma maneira de recarregar o cérebro, logo a presença de adenosina é um sinal de que o cérebro precisa descansar. "Como a secreção de adenosina reflete a atividade celular do cérebro, altas concentrações dessa substância podem ser um aviso de que o corpo gastou muita energia e precisa descansar". Os níveis de adenosina no cérebro aumentam quando se está acordado e diminuem durante o sono.
O que sabemos é que, depois de uma boa noite de sono, a sensação de bem-estar é maior pela manhã. Tanto o cérebro quanto o corpo estão descansados e prontos para um novo dia. 

Sonhos

Por que existem os sonhos, afinal? De acordo com Joel Achenbach, em seu livro Why Things Are (em inglês),
    o cérebro cria os sonhos por meio de uma atividade elétrica aleatória. Aleatória é a palavra-chave aqui. A cada período de 90 min, o tronco cerebral envia impulsos elétricos para o cérebro, de forma desordenada. A parte analítica do cérebro, o prosencéfalo, tenta desesperadamente achar algum sentido nesses sinais. É como olhar para um teste de Rorschach, uma mancha aleatória de tinta em um papel. A única maneira de compreender o sonho é interpretá-lo metaforicamente, simbolicamente, já que não existe mensagem literal. Isso não significa que os sonhos não fazem sentido ou devem ser ignorados. A maneira como nosso prosencéfalo tenta "analisar" as imagens aleatórias e descontínuas de nosso cérebro pode nos dizer algo sobre nós mesmos, da mesma forma que uma mancha de tinta pode ser reveladora. Talvez até existe uma razão na loucura. Nossas mentes podem estar trabalhando nesses problemas profundos por meio desses sonhos metafóricos.
Aqui estão algumas coisas que você deve ter notado sobre os sonhos.
  • Os sonhos contam uma história. Eles são como um programa de TV, com cenas, seus elementos visuais e personagens.
  • Os sonhos são egocêntricos. Eles quase sempre envolvem você.
  • Os sonhos incorporam coisas que aconteceram com você recentemente. Eles também estão relacionados com seus medos e desejos mais profundos.
  • Um barulho no ambiente também pode ser integrado ao sonho, o que reforça a idéia de que os sonhos são simplesmente a resposta do cérebro aos impulsos aleatórios.
  • Você geralmente não pode controlar um sonho. Na verdade, os sonhos enfatizam sua falta de controle e impossibilidade de correr ou gritar. Entretanto, existem os sonhos lúcidos (em inglês), que podem ser controlados.
Sonhar é importante. Nos experimentos de sono em que a pessoa acorda toda vez em que entra no sono REM, ela se torna cada vez mais impaciente e sente desconforto.
Para obter mais informações, veja Como funcionam os sonhos. 

De quanto tempo de sono eu preciso?

A maioria dos adultos precisa de sete a nove horas de sono por noite. Isso é uma média. A quantidade de horas de sono varia de acordo com a pessoa. Você, por exemplo, deve saber de quanto tempo de sono precisa para se sentir bem.

A quantidade de sono necessária diminui com a idade. Um bebê recém-nascido chega a dormir 20 horas por dia. Aos quatro anos, a média é de 12 horas por dia. Aos 10, a média cai para 10 horas por dia. As pessoas mais velhas dormem cerca de seis ou sete horas por dia. 

Dicas para melhorar seu sono
  • Pratique exercícios regularmente. Eles ajudam a cansar e a relaxar o corpo.
  • Não consuma cafeína depois das quatro horas da tarde. Evite outros estimulantes, como cigarros.
  • Evite consumir álcool antes de dormir. O álcool quebra os padrões normais do cérebro durante o sono.
  • Tente dormir e acordar no mesmo horário, mesmo nos finais de semana. 
 Insônia

A insônia é um dissonia caracterizada pela dificuldade em iniciar e/ou manter o sono e pela sensação de não ter um sono reparador durante pelo menos um mês causando prejuízo significativo em áreas importantes da vida do indivíduo. Do ponto de vista polissonográfico, é acompanhada de alterações na indução, na continuidade e na estrutura do sono. Geralmente aparece no adulto jovem, é mais frequente na mulher e tem um desenvolvimento crônico. É o transtorno de sono mais comum, respondendo por cerca de 25% das buscas em clínicas especializadas em tratamento de problemas do sono. Cerca de metade dos pacientes com insônia também tem depressão maior.
Frequentemente o paciente com diagnóstico de insônia primária apresenta dificuldade para começar a dormir e acorda seguidamente durante a noite, sendo incomum uma queixa isolada de sono não reparador.

Classificação

Classificação por origem

Segundo o dicionário de saúde mental (DSM IV) a insônia pode ser classificada como primária ou secundária. Primária quando ela é a principal doença e secundária quando ela for sintoma de outra doença ou efeito colateral de um medicamento. A insônia como sintoma de outro transtorno psiquiátrico é duas vezes mais comum que a primária.

Classificação por causa

Na Classificação Internacional de Doenças (CID 10) pode ser classificado como causa orgânica (G47.0) ou por causa psicofisiológica (F51.0). Porém do ponto de vista clínico e polissonográfico existem grandes semelhanças entre os subtipos de insônia, ambos com causas orgânicas e psicofisiológicas, sendo desnecessárias as subdivisões.

Classificação por tempo

Insônias transiente
As insônias de transiente ou de curta duração são as que duram de poucos dias até três semanas. Geralmente são causados por estresse grave ou persistente como preocupações com a saúde própria ou de familiares; luto ou perda substancial; problemas familiares, profissionais ou de relacionamentos.
Insônia intermitente
Caso os episódios de insônia ocorram de tempos em tempos, com períodos de sono regular e revigorante entre eles, passa a ser chamada de insônia intermitente.

Insônia crônica
 
As insônias de longa duração ou crônicas são as que duram mais de três semanas. Podem ser relacionadas a estresse contínuo, depressão, abuso de álcool ou drogas e hábitos inadequados para dormir, como o excesso de café (cafeína).
 Impacto da insônia no mundo ajustado pela idade para cada 100.000 habitantes.(OMS 2004)
██ sem informação
██ menos de 25
██ 25-30.25
██ 30.25-36
██ 36-41.5
██ 41.5-47
██ 47-52.5
██ 52.5-58
██ 58-63.5
██ 63.5-69
██ 69-74.5
██ 74.5-80
██ mais de 80

Incidência da insônia

A insônia é referida em 20% dos adultos. A insônia é mais relatada em mulheres. É incomum entre crianças e adolescentes. Aparece geralmente no adulto jovem (entre 20 e 30 anos) e se intensifica gradativamente, sendo frequente entre idosos.
A insônia ocorre mais em populações urbanas do que rurais. Estudos populacionais de adultos no Brasil revelaram a insônia em 32% da população de São José do Rio Preto, no estado de São Paulo, uma cidade de porte médio; avaliação semelhante em zona rural revelou insônia em 16,8%, no Município de Jaraguari, Estado do Mato Grosso do Sul.

Tratamento

O tratamento é bastante amplo, englobando desde a modificação dos hábitos inadequados para dormir até o tratamento da causa da insônia com medicamentos antidepressivos nos casos de depressão; e outros medicamentos; e psicoterapia em alguns casos. É necessário buscar a causa da insônia para cada um.

Fontes: HowStuffWorks (Como Funciona o Sono) e Wikipédia (Insônia).


0 comentários: