Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Liberação

O auxílio divino invade-me durante os dias da minha vida e encoraja-me.
Empenho-me em abandonar a acomodação e o desânimo, revigorando-me na prece
e trabalhando pela conquista dos recursos superiores.
As sombras que me envolvem permanecem, porque as sustento com o pensamento.
Serei o sol do esforço pessoal e banhado pela divina luz me restaurarei, sendo feliz. 



As cargas mentais negativas possuem a nefasta força de desorganizar as engrenagens psicológicas e físicas do ser. Acostumando-se-lhes, será necessário ingente esforço para destrinçá-las, nos sutis emaranhados dos campos de energia geradora da vida.
Recordações desagradáveis, pensamentos perturbadores, idéias viciosas, frases deprimentes do ontem ressumam como necessidades de queixas, ressentimentos guardados, iras conservadas, depreciação de si mesmo, desamor, num conjunto de ingredientes destrutivos, que terminam por desorganizar o ser que se lhes permite vitimar.
Não se pode evitar o haver nascido em um lar agressivo, entre pessoas hostis, sob injunções sócio-morais e econômicas penosas. Tal acontecimento faz parte do passado e a lamentação somente complica-o, ao invés de eliminá-lo.
Submeter-se às reminiscências deploráveis torna-se uma forma de infeliz masoquismo, que vitaliza o que não se tem como eliminar, embora os recursos de que se dispõe para sobrepô-las e esquecê-las. 

Toda vez que alguém se apóia à autocompaixão diante do insucesso da existência planetária, acomoda-se ao sucedido e preserva-o por conformismo. Faz-se, então, inadiável a decisão para ser feliz, revertendo o ocorrido.
A reencarnação conduziu-te a um lar que consideras inadequado para o teu progresso, e que te faz sofrer. Talvez tu mesmo o hajas elegido para adaptar-se desde cedo ao processo reparador.

Cada um se vincula aos seres de que necessita para a evolução. Permanecer, porém, ergastulado a esses eventos afligentes é atitude acomodatícia com o negativo e perturbador, quando se dispõe de valiosos meios para a libertação.
Problemas existem para ser solucionados.
Dificuldades são testes para desafiar os valores latentes do conhecimento, da capacidade de luta de cada um.
Se preferes a autopiedade, ninguém te poderá ajudar. 
O ressentimento, o medo, a queixa, a reclamação do passado mais te farão dependente do acontecido, no qual inconscientemente te apóias a fim de não lutares pela restauração da paz e o logro da alegria.
Não podes nem deves incorporar à existência os vaticínios danosos que te fizeram, as expressões chulas que te dirigiram, as frases deprimentes que te endereçaram, as agressões verbais, morais e físicas de que foste vítima. Isso já passou e não tens como fazer para que não houvesse sucedido. Desviar-lhes, porém, os efeitos daninhos, sim, cabe-te realizá-lo.
Sabes que não és o de que te acusaram.
Mas, se por infortúnio da tua fragilidade psicológica, incorporaste à personalidade as investidas aleivosas e te crês conforme te definiram, rompe as algemas e ensaia a tua libertação.
És uma ganga bruta por lapidar. Se, exteriormente, a ganga é impura, tens no íntimo o brilho das estrelas, que te cumpre liberar.
Começa agora o novo processo da tua vida.
Dá-te a oportunidade de provar a ti mesmo quanto possuis, e conseguirás produzir.
Experimenta o prazer de reconstruir o teu futuro e, de pronto, começarás a ser uma pessoa ditosa.

Joanna de Ângelis

2 comentários:

Luís Coelho disse...

Bom dia
Todos nós somos feitos de passado e de presente. Como dizes é necessário lutar para criarmos as nossas defesas e um rumo livre e independente.

Gostei do artigo mas que por ser longo nos distraí um pouco.

Para terminar penso que devemos aproveitar as nossas raízes para as transformar sem as criticar. Alguns pensam que na vida dos outros as coisas são mais fáceis.

O nosso passado e as nossas raízes dão-nos pistas para crescermos diariamente e transformar os espinhos nas mais formosas rosas.

Um abraço

Claudine Ribeiro G. Netto disse...

Olá amigo Janilton,
Excelente texto. Todos nós estamos em processo de evolução espiritual, viemos para nossas famílias para isso. Tudo o que passamos devemos tirar proveito para essa evolução, nunca gurdando mágoas e rancores, as lembranças devem ficar no passado. Devemos viver no presente e não no passado.
Assim eliminamos um pouco de nossas máculas, que são muitas.
Aqueles que conseguem resistir a todo tipo de provocação, mantendo absoluta calma, terão cumprido uma parte de seu aprimoramento, assim estaremos polindo nossa alma e puruficando nossos sentimentos.

Um abraço.