Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Lei do Progresso

Pergunta 780 - O progresso moral acompanha sempre o progresso intelectual? - "Decorre deste, mas nem sempre o segue imediatamente".
Pergunta 792 - Por que não efetua a civilização, imediatamente, todo o bem que poderia produzir? - "Porque os homens ainda não estão aptos nem dispostos a alcançá-lo."
1 - DIANTE DO PROGRESSO
Embora os respeitáveis índices que atestam as valiosas conquistas do progresso científico, nos múltiplos campos de realizações, não te descures da ação evangélica nos cometimentos evolutivos a que te afervoras.
A astronáutica sonha por atingir as estrelas e decifrar-lhes a grandeza; o Evangelho permanece cuidando do homem na Terra, elucidando-o quanto aos deveres que lhe cumpre realizar.
A cibernética elabora técnicas para lançá-lo com segurança através das distâncias imensuráveis; o Evangelho luta, porém, para equilibrá-lo na sociedade onde cresce espiritualmente.
A ciência em geral tenta resolver os problemas que afligem a criatura, impelindo-a para fora; o Evangelho projeta-lhe claridade íntima, ajudando-a a romper as amarras que a fazem infeliz.
Os métodos científicos atam os seres às conjunturas da sua limitação; o Evangelho libera-os dos impedimentos que os retêm na retaguarda da evolução.

O tecnicismo procura amenizar as asperezas e as constrições que decorrem do mundo moderno; o Evangelho elucida quanto à razão dos sofrimentos e elimina os óbices que impedem o homem de avançar.
Ninguém como Jesus conseguiu, jamais, produzir tão elevados padrões de valorização do homem, sem as complexidades de que hoje se utilizam as criaturas, sem que logrem expressivo êxito.
Desfilaram ante Ele os mais diversos biótipos humanos e sociais, recebendo seguras diretrizes.
A todos dispensou a mesma solidariedade fraternal e moral, sem alarde, sem restrição.
Não se utilizando de qualquer tipo de prolixidade, ensinou a metodologia do amor que "cobre a multidão dos pecados", mediante a vivência que se permitiu, amando indistintamente.
Da chamada ralé ergueu protótipos de nobreza, e da nobreza temporal levantou à culminância da dignidade real príncipes e doutos, mediante os mesmos recursos de ternura e sabedoria.
O progresso, para ser legítimo, não pode prescindir da elevação moral dos homens, que se haure no Evangelho, sempre atual.
As conquistas da inteligência, embora valiosas, sem a santificação dos sentimentos conduzem ao desvario e à destruição.
Para serem autênticas as aquisições humanas, devem alicerçar-se nos valores éticos, sem os quais o conhecimento se converte em vapor tóxico que culmina por aniquilar quem o detém.
Estudo, pesquisa, sim, mas amor também. Examinando a problemática da evolução, os Mensageiros encarregados da Codificação Espírita foram taxativos: "Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo."
Nem o amor sem equilíbrio, arrebatamento que revela paixão e desconserto interior, nem a instrução intelectual sem o conteúdo de amor, a transformar-se em vapor alucinante de vaidades perniciosas quão destrutivas.
Sem o equilíbrio das duas asas a ave não consegue voar, planando nas alturas.
Amor e conhecimento são as asas harmoniosas para o progresso do homem e dos povos, progresso que, não obstante as paixões nefastas ainda predominantes na natureza animal do homem, será possível alcançar.
Inexoravelmente o homem avança, e sem apelação crescem as sociedades na direção da felicidade, porque é da Lei que o Espírito jamais retrocede, progredindo sempre, e com ele a sociedade humana, representada pelas nações, evoluindo sem cessar.
2 - DIANTE DO DESTINO
Falso o conceito sobre os que "estão fadados ao mal".
Equivocado o ensino de que a "sorte é responsável pelo destino de cada homem".
Absurda a teoria em torno dos que devem, irremissivelmente, "sofrer desgraças".
Lamentável a idéia que impele o ser a "fazer o que deve fazer" na contingência do erro e da desdita.
Sem fundamento a asseveração da "fatalidade para o infortúnio".
O destino individual resulta dos atos de cada criatura. Por isso mesmo, a todo instante sofre injunções positivas e negativas que lhe alteram a planificação.
No determinismo das Leis, há opções que decorrem do comportamento do Espírito em experiência evolutiva, dispondo e orientando sempre para as trilhas liberativas e felicitantes.
Ninguém, portanto, em desvalimento, atirado à irrefragável derrota.
Querer ou não querer, esforçar-se ou não pelo triunfo pessoal, depende de cada aprendiz da vida.
Açulado, perseguido por fatores inditosos, arrojado a situações perniciosas, mesmo assim o homem é responsável pela sua acomodação tácita ou pelo empenho de superação das injunções que devem funcionar como valiosas experiências para a fixação do dever nobre, do bem atuante nos painéis da sua mente encarnada.
Açodado por inspiração obsessiva ou compelido pela impulsividade malsã de companheiros aturdidos, a responsabilidade da decisão te pertence.
Não transfiras culpas, escudando-te no destino, ou no propelimento da natureza íntima, ou nos fatores circunstanciais ...
Reencarnação é oportunidade de soerguimento e não de desaire ou queda.
Acumpliciamento com o mal é afinidade com ele. Sintonia com o bem é sede de amor e ânsia de felicidade.
A ascensão ou a queda será decorrência do teu livre-arbítrio, desde que, em todo momento, o Senhor te faculta recursos excelentes com que podes discernir, optar e agir ...
Em situação que te pareça aziaga, ao invés da deserção do dever, da revolta precipitada, do desvario, recolhe sensatez, prudência, amadurecimento íntimo, modificando-te interiormente.
Lição é o prêmio da vida, como a experiência representa aquisição preciosa do esforço pessoal, intransferível.
De forma alguma desistas de lutar, de tentar em esforço de reabilitação, de repetir a tarefa até lograr a vitória.
Só há fatalidade para o bem, sendo as determinações de provação e expiação capítulos e ensaios redentores para os equivocados que se demoram nas experiências primárias da evolução.
3 - DORES E JUSTIÇA
Semelhantes a sementeira produtiva, imbatíveis, ei-los que retomam.
Sofrimentos que supunhas superados, dilacerando as fibras do Espírito; obstáculos imprevisíveis de que já esqueceras, causando receios injustificados; danos morais para os quais te acreditavas preparado, espezinhando tua fortaleza íntima; enfermidades contínuas cansando tuas disposições de otimismo; problemática financeira reduzindo possibilidades aquisitivas; angústias que dormiam anestesiadas, volvendo, imprevisíveis, ameaçadoras; debandada de amigos e afetos que foram adiante, deixando-te quando deles mais necessitavas ...
E inumeráveis outras conjunturas afligentes, conspirando contra os teus esforços de progresso e ascensão.
Todavia, só assim progredirás, ascenderás.
O aguilhão é, por enquanto, o mais eficaz impulsionador para muitos Espíritos.
Clima de paz, conforto fácil e família ditosa geralmente criam problemas outros, que somente no grabato de aflições vigorosas podem ser considerados.
Não recalcitres, por isso, nem renteies com os desesperados, engrossando suas fileiras.
Isto também passará, como já transitaram no tempo e no espaço outras conjunturas e acontecimentos.
Os que se supõem vitoriosos estão semeando o amanhã ...
Não poucos deles, embora fartos, atiram-se, açulados pela monotonia que dizem sofrer, aos espetáculos fortes da leviandade que produz loucura, tentando emoções novas.
Correm atônitos ou desfilam fantasiados e iludidos, invejados, mas igualmente insaciados ...
Refestelam-se na comodidade, todavia carregam outros problemas, que te não são peliculares, graças à posição em que te situas.
Agradeça a Deus a carga de penas que te sobrecarrega, no entanto te proporciona benéficas reflexões, fazendo-te sonhar com o amanhã tranqüilo.
Não penses exclusivamente em termos de atual reencarnação.
Reflete na dimensão da vida futura, a verdadeira, e promove os teus dias porvindouros carpindo e resgatando as dores que te alcançam, provindas de qualquer procedência, certo de que a justiça da paz te encontrará, como já te atingiu a justiça para o resgate ...
A libertação não precede a caminhada redentora. Não te amofines, prosseguindo otimista, haja o que houver.
4 - VÍCIOS E DELITOS
Condicionamentos passados, fortemente fixados nos tecidos sutis do Espírito, ressurgem como incontidas impulsões que se transformam em vigorosos senhores dos que lhes padecem a injunção.
Procedentes do pretérito espiritual, fazem-se dilaceração da alma desde cedo, quando o processo da reencarnação se consuma ...
Constituem imperiosos tormentos que aparecem reiteradamente, dominam e destroem os seus êmulos.
Formam as paisagens lôbregas do mundo moral da criatura humana.
Tomam corpo em decorrência dos maus hábitos, estimulados pela insensatez, cultivados pela permissividade social.
Assumem aspecto inocente e se incorporam à personalidade, tornando-se uma segunda natureza que absorve os recursos superiores da Vida, culminando por seviciar e vencer os que derrapam na sua inditosa direção.

Defluem de inspirações perniciosas de mentes desencarnadas, em processo insinuante de obsessão simples, que se converte em subjugação selvagem, mediante a qual os cômpares se sustentam e se extremunham, infelicitando-se reciprocamente em doloroso processo de longo curso em que se interdependem, amargurados.
Possuem uma gênese e uma gama diversa e complexa.
Todos decorrem do Espírito dúbio e procedem da fraqueza interior dos que se acumpliciam em consórcio de dependência inditosa.
Florescem, pestilenciais, na alma, na mente e no corpo.
São paixões dissolventes que envenenam com tenacidade, em programática segura.
Seja sob qual aparência os descubras em ti, não lhes dês trégua.
A mentira inocente estimulada transforma-se, um dia, numa calúnia bem urdida.
Uma taça de licor singela, repetida, faz-se veículo de alcoolofilia martirizante.
Um delíquio moral momentâneo, aceito com naturalidade, abre as portas da dignidade à corrupção.
Sê severo nos teus compromissos morais, nas tuas relações sociais, impondo-te elevação e austeridade.
Um descuido, uma concessão e se estabelecem os vínculos inditosos.
Morigeração e cuidado deves manter, mesmo que os outros se favoreçam com maior soma de liberdade, a fim de preservar-te das artimanhas dos vícios e delitos que trazes do ontem, que podes adquirir hoje e que estão fáceis por toda parte ...
Sublimes realizações, tarefas nobilitantes que suportaram graves investidas do mal, homens e mulheres resolutos que se ofereceram ao bem e ao dever, tombaram, inermes, ante os vapores dos vícios sociais e delitos morais aparentemente ingênuos que terminaram por vencer as decisões robustas em que fraquejaram ...
Vigia e perscruta teus sentimentos.
Se descobrires tendências e inclinações não adies o combate nem te concedas pieguismo.
Luta e vence-os de uma vez, arrebentando os elos mantenedores da viciação e dos delitos, a fim de lograres o êxito que persegues, anelas e necessitas.
5 - PASSADO E DOR
No passado espiritual de cada criatura se inscrevem as causas dos sofrimentos humanos.
Enfermidades irreversíveis, problemas teratológicos, perturbações psíquicas de largo porte, limitações e mutilações físicas, degenerescências orgânicas e mentais, aberrações congênitas procedem do uso indevido e abuso do livre-arbítrio, quando de outras experiências evolutivas em reencarnações pregressas. É das Leis divinas que ninguém pode abusar impunemente dos tesouros inalienáveis de que usufrui na condição de ser inteligente.
A realidade física impõe deveres para com os implementos orgânicos e as peças encarregadas das manifestações intelectuais, concedidas pela Divindade para a aquisição de sabedoria e felicidade para o Espírito em evolução.
Os desregramentos de qualquer expressão impõem necessidades reparadoras, que gravam nos recessos do Espírito as matrizes que organizarão as futuras engrenagens de que se utilizará a vida para realizar as suas altas finalidades.
Não obstante os problemas e as dores que traduzem necessidade urgente de reparação interior, é também da Lei que toda aquisição de ordem superior funcione como bênção que faculta liberação carcerária no programa de resgate espiritual. Equivale a uma compensação de que se utilizam os Benfeitores da Humanidade para minimizar as angústias e expiações necessárias aos calcetas, em razão da própria depuração.
As leis que regem o Universo são de amor, e o amor não implica conivência com os engodos e erros do ser amado, antes se estabelece mediante o impositivo da sua libertação e da sua ascensão para Deus.
Normalmente os que padecem determinadas constrições orgânicas e mentais, como expurgatórios abençoados, se tornam causas de dores angustiantes para pais, familiares e amigos. Ocorre que todo aquele que se encontra vinculado, direta ou indiretamente aos que expungem, aí não está a expensas do acaso, na condição de vítima que sofre injustamente.
Não há equívocos no Estatuto Divino.
Antigos comparsas, sequazes de loucuras, êmulos e estímulos de desequilíbrios, fatores causais de suicídios chocantes e homicídios hediondos renascem no mesmo grupo genético, a fim de participarem do resgate das suas vítimas ou dos seus cômpares ...
O mesmo ocorre em relação aos seres queridos que retomam à Vida Espiritual de surpresa, deixando na retaguarda pais e amigos com a alma dilacerada ...
Antigos suicidas, que volvem a cumprir período não resgatado, vinculam-se àqueles antigos amores que os levaram à alucinação autocida, deixando-os mergulhados na rude saudade, mortificados pela dor ...
O presente, porém, é ensancha sublime que a todos compete aproveitar.
Enxuga o pranto, transforma a saudade em sinfonia de esperança, atende à enfermidade, conduze resignado a cruz dos padecimentos libertadores, confia e espera.
O amanhã será o teu dia de sol e de bem-aventuranças.
Não desfaleças ante as conjunturas aflitivas. Desde que provéns do passado de erros e perturbações, edifica o teu porvir de venturas, amando, servindo e renunciando, desde agora, porquanto o bem é a única linguagem eterna a produzir incessantemente felicidade plena e sem jaça.
6 - PROSSEGUIR SEMPRE
O desfalecimento na luta traduz, não raro, a fraqueza nos propósitos esposados. Quando essa ocorrência incide nos expressivos labores que objetivam os ideais de enobrecimento humano, com vistas à comunidade onde o trabalhador se acha situado, a atitude de desânimo se faz mais grave pelas implicações de que se reveste. Não apenas constitui fator dissolvente na coragem de todos como se revela debilidade de convicção. .
Quem se dispõe ao ministério da iluminação própria, alargando possibilidades em relação ao próximo, deve estar consciente de que o seu empreendimento é sacrificial, e todo o esforço deve ser empregado sem as amplas aspirações de recompensa imediata, entendimento geral, aplauso público.
No serviço, deve-se descobrir a emulação para o desiderato, conscientizando-se cada vez mais do quanto deve ainda fazer, ao constatar insucesso no labor realizado.
Diante da agressividade que explode ameaçadora, indispensável redobrar a paciência; em face da deserção de colaboradores antes devotados, mais ampla fidelidade ao serviço; junto ao desespero coletivo, confiança inabalável; se grassam a maldade, o comentário ácido, a ingratidão mesquinha, o rigor dos fiscais da inutilidade, a sanha feroz dos perturbados em si mesmos pelas paixões mais vis, indubitavelmente são exigidas maiores somas de renúncia e fé, persistência e otimismo, porquanto, no solo sáfaro, são imprescindíveis mais adubo e irrigação para o êxito da sementeira, o mesmo ocorrendo nas paisagens inditosas dos Espíritos equivocados ...
Desfalecer, porém, na luta, nunca!
O êxito de uma engrenagem complexa depende da exatidão de cada peça.
A eloqüência de um discurso decorre da colocação correta de cada palavra na elaboração do conceito harmonioso.
A musicalidade sinfônica pertence ao ajustamento de cada nota melódica.
O mesmo acontece de referência aos empreendimentos superiores a que te vinculas.
Momento a momento, ação a ação, esforço a esforço lograrás a meta, se prosseguires sempre, sem presssa, todavia sem desânimo.
Cada dissabor que experimentes sem descoroçoamento, na estrada do bem, é um êxito no entesouramento de bênçãos íntimas.
Toda dificuldade defrontada no desdobrar dos esforços torna-se um convite a mais eficiente reflexão para segura superação.
Aquele que desiste, vitimado pelo receio injustificado ou arrimado ao desânimo indesculpável, perde o excelente veículo da oportunidade que lhe propiciaria o triunfo sobre si mesmo, granjeando a felicidade pela farta sementeira do amor a assimilar-lhe o caminho vencido.
Aos sinais de cansaço, inquietação íntima, desânimo sorrateiro ou indiferença em plena atividade fraternal, resguarda-te na oração e cuida-te.
Inimigos embaraçosos que se exteriorizam de ti mesmo bloqueiam os centros de interesse, frenando os teus impulsos nobres, com iminente perigo de arrojar-te nas rampas da loucura.
Impõe-te vigilância e porfia.
Armado com a "couraça da fé" e os hábeis recursos da perseverança, da humildade e da caridade no coração, conseguirás readquirir a confiança e o otimismo, porquanto a "fé remove montanhas", quando o amor luze n'alma e se prossegue no dever, conforme elucidou Jesus. 

Joanna de Ângelis

0 comentários: