Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

terça-feira, 4 de maio de 2010

O Poder da Palavra

A palavra é uma melodia soberana entre as outras. Tem a magia ativa de explicar as demais e a primazia de enriquecer todas as qualidades do homem. Ela é um dom, por excelência, com que Deus premiou as criaturas. O poder da palavra atravessa as fronteiras do entendimento humano, e alcança regiões onde vivem os anjos. Por intermédio da alocução, podemos emitir ondas sonoras psíquicas em harmonia perfeita, de modo a conduzir leis e mensagens como se faz pelo rádio, televisão etc. Todavia, o poder do verbo paira acima dos aparelhos materiais, por encontrar recursos na própria natureza, a qual lhe confere maiores possibilidades de expansão, em todos os seus ângulos de domínio.
É certo que, para esse mister, a alma tem de ser adestrada na ciência da comunicação espiritual, e dominar a energia que usa com toda a dinâmica, a fim de conseguir um rendimento maior no uso da palavra. Os sons, articulados pelos místicos, são como poemas interligados ao ritmo da música, do micro e do macrocosmo. Quando alcançamos essa sintonia, propomos a nós mesmos a realização de maravilhas.
As antigas iniciações, na Caldéia e no Egito, na Índia e na China, montavam um esquema de educação da palavra, para que o candidato pudesse usá-la como santo e como sábio, como discípulo da verdade e como místico. Alguns deles, ao chegarem em determinada equação na harmonia das coisas, e perceberem a interestrutura dos corpos, conseguiam, com o poder da palavra, desintegrar as formas mais duras da matéria, como também reuní-las na sua área anterior.
A mente tem de ser bem-educada, trabalhando em conexão perfeita com o verbo, pois são duas correntes de forças que se ajustam para atingir os mesmos fins. Um orador famoso só o é pelo dom, e esse dom é constituído por qualidades exercitadas durante muitas reencarnações, aprimoradas em vidas sucessivas, que lhe outorgaram o completo domínio da palavra e, certamente, das massas que o ouvem.
O intelecto desenvolvido é um acessório de grande utilidade para a harmonia da palavra, facilitando a comunicação com os outros. Ninguém faz o orador, nem o cantor, nem artista algum. Eles já nascem com tais e quais dons, como herança do passado, ao qual estão ligados, pela lei do esforço e do trabalho.
A palavra ritmada na dimensão evangélica tem o poder de curar, de ensinar, de acordar as almas esquecidas do valor de servir. Um exemplo: Jesus, o Mestre dos mestres, na arte divina de usar o verbo, de usar a mente e de usar as mãos, curou milhares de enfermos, levantando dezenas de paralíticos, e fazendo erguerem -se muitos do leito da morte.
E esse poder, verdadeiramente, Ele, o Cristo de Deus, transmite para todas as criaturas, na escola do Evangelho, proporcionando a assimilação dos conceitos nele depositados, como bênçãos dos céus e força de Deus. A evolução espiritual é uma porta que nos abre para a aquisição divina do poder da palavra.
Já notastes o quanto um clínico ajuda um enfermo com uma palavra de ânimo? Já percebestes o poder da palavra de um sacerdote, pastor, ou semelhante, para as massas que escutam, atentamente, com sede de saber e de consolo? De um professor, de um político, ou general? E, acima de tudo, os pais de família? Eis por que ela tem de ser bem estruturada, analisada, selecionada, para depois ser posta em uso, com a cadência da alegria e a postura do amor.
O progresso deve muito à palavra, e a palavra é filha do progresso. Antes de falardes ao alguém, pensai, em primeiro lugar, na tranqüilidade, pois assim injetareis, na estrutura sonora, os vossos senntimentos. E quem vos ouve será envolvido pelos fluidos que projetais, acalmando-lhe os nervos, aliviando-lhe as dores que porventura sentir, dotando -o de paz e tranqüilidade consciencial. Eis uma caridade que podereis fazer todos os dias. E o maior beneficiado sereis vós mesmos.
Ao conversardes com um enfermo, não deixeis que ele influencie vossa mente com pensamentos negativos. Arregimentai as vossas forças, pensai na saúde, despertai a alegria no íntimo, vivei um pouco no amor e falai a ele, ou a eles, com toda a convicção de que estais, realmente, transmitindo saúde, alegria e esperança a todo o seu organismo físico e espiritual. Assim, sereis ajudado por inteligências invisíveis, porque elas encontrarão abertas as portas do vosso coração, por serdes úteis aos semelhantes. Eis aí os princípios da ciência de curar, com o bom uso da palavra e com a vigorosa força da mente. 

Espírito Miramez

1 comentários:

Claudine Ribeiro G. Netto disse...

Olá amigo Janilton, excelente texto abordado. A palavra tanto pode prejudicar quanto ajudar uma pessoa, esta dita com sabedoria e amor, não só ajuda a pessoa que a está escultando como também quem a profere, pois aquem profere ajuda no engrandecimento espiritual, embelezando sua alma com o amor da palavra dita, e quem a está escultando ajuda no engrandecimento de caráter pessoal.
Sabe amigo, sinto sua falta no dihitt, foi por isso que passei dois meses e dias sem ir até lá, voltei ontém e passo pouco tempo.
Vou te pedir um favor, volta para o dihitt, não precisa entrar todos os dias e passar horas, volta e passa pouco tempo como eu.
Deus te abençoe, proteja e ilumine.
Abraços.