Pages

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

sábado, 3 de outubro de 2009

Ser Sábio ou Ser Erudito: O Que É Mais Útil?

Uma questão que podemos de imediato colocar para nós mesmos é: qual a utilidade de saber alguma coisa? Há os que pensam que sábio é o homem que acumula conhecimento como alguém acumula dinheiro em um banco. Estas cabeças lotadas de informação possuem o nome de "eruditas", e muitas vezes tamanha é sua erudição que conseguem ter muitos conhecimentos sobre os detalhes de uma gama enorme de coisas. Os eruditos geralmente não se contentam com o título de eruditos, gostam de ser chamados de "pensadores", "filósofos" e sábios. Isso se dá pelo fato de que os conhecimentos que eles possuem, muitas vezes não se encontram organizados em suas mentes, e muitas vezes o erudito não sabe nem ao menos o que fazer com tais conhecimentos. Isto demonstra que sem uma finalidade o conhecimento acumulado se transforma em um tipo de "cultura inútuil", a qual serve como passatempo interessante em uma mesa de café, ou poderá ser útil em algum tipo de concurso acadêmico que exija do candidato memorização de fatos, datas e conceitos, mas em sua vida pessoal não se pode dizer que este conhecimento será sempre útil.Devido a isto, o erudito quer sempre ser visto como sábio, e até mesmo para si próprio se mostra desta forma.
Por outro lado, há que se perguntar o que é a sabedoria. De forma grosseira, podemos dizer que a sabedoria está tanto na posse de uma determinada informação quanto no conhecimento de como esta informação pode ser útil em uma situação específica. A sabedoria, seria então, de certa forma uma propriedade interna ao sujeito, um tipo de inteligência prática que permite a ele se orientar no mundo e saber o que fazer em dadas situações com a informação de que dispõe. Se pararmos um instante para pensar, iremos reconhecer que, em ao menos uma coisa somos completamente sábios, ou seja, somos sábios no conhecimento que temos de nossa experiência de vida e das coisas que acontecem conosco, e este é um conhecimento único. Tal sabedoria natural, no entanto, não necessariamente vem acompanhada de bom senso, e o fato de conhecer "por dentro" da melhor maneira possível a própria história de vida não nos previne de fazer muitas besteiras. Isto se dá pelo fato de que a sabedoria tem limites, assim sendo, ela pode prescindir muitas vezes da erudição (por exemplo, o sujeito não precisa conhecer as teorias termométricas de Kelvin, Celsius e Fahrenheit para conhecer como é a sensação térmica de um sujeito febril) mas não pode prescindir do bom senso.
Igualmente sobre a erudição se pode dizer que esta pode ser potencializada pelo bom senso e pela sabedoria, e quando isto ocorre temos uma conjunção utilíssima de capacidades em um sujeito.
Face ao exposto acima, do ponto de vista da utilidade, parto do princípio que a sabedoria é mais útil do que a erudição, já que devido à sabedoria podemos aumentar nossa erudição e saber como direcioná-la no momento certo e na ocasião devida.

Biografia: Ser Sábio ou Ser Erudito: O que é mais Útil? de Pablo Silva Machado Bispo dos Santos

2 comentários:

joselito bortolotto disse...

Erudito ou sábio. Inteligente ou esperto.

Altemar Rocha disse...

Gostei do seu post, Janilton.
Mostra que a erudição só tem um valor real se houver sabedoria. A sabedoria por si própria é melhor que a erudição.
Acredito que no mundo de hoje quem tem filhos que não usam drogas, bebidas e nem promiscuidade sexual é um sábio.
Um forte abraço.